Por quanto tempo você poderia viver sem emprego?


Fábio Portela

emprego
O tema de hoje, provavelmente, é desconfortável para a maioria das pessoas. Seja sincero consigo mesmo e responda: por quanto tempo você poderia viver sem emprego? Por quanto tempo conseguiria manter suas despesas básicas com a casa, alimentação, moradia, escola dos filhos e um mínimo de lazer, se perdesse seu emprego hoje?

Patrimônio que garanta 6 meses sem emprego é o mínimo!

Sei que a pergunta é dura, mas é provavelmente a questão mais importante para aqueles que ainda nem começaram a poupar. Muitos devem achar que sua situação financeira é sólida porque tem um bom emprego, e isso é o bastante. Mas será mesmo? Será mesmo que não há nenhuma chance – nenhumazinha – de você, de repente, se ver sem chão porque a empresa em que trabalha faliu? Ou porque seu chefe mudou e, de repente, seu perfil não é mais tão interessante para a empresa?  Provavelmente, você deve pensar que a empresa em que trabalha é sólida e tem longo histórico de respeito pelos empregados.

Ebook de Fábio Portela

 
Mas, como dizem os americanos, e me perdoem o vocabulário grosseiro… “shit happens”. Pode ser que a situação não seja tão grave e você não perca o emprego nem a empresa feche as portas, mas por um motivo ou outro pode perder aquele cargo espetacular de gerente, que garantia um salário polpudo em razão da gratificação de função.
Ah, você é funcionário público e acha que nada de ruim pode acontecer? Veja o que diz a Constituição da República:
Art. 169 (…)
§ 3º Para o cumprimento dos limites estabelecidos com base neste artigo, durante o prazo fixado na lei complementar referida no caput, a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios adotarão as seguintes providências:  (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
I – redução em pelo menos vinte por cento das despesas com cargos em comissão e funções de confiança;  (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
§ 4º Se as medidas adotadas com base no parágrafo anterior não forem suficientes para assegurar o cumprimento da determinação da lei complementar referida neste artigo, o servidor estável poderá perder o cargo, desde que ato normativo motivado de cada um dos Poderes especifique a atividade funcional, o órgão ou unidade administrativa objeto da redução de pessoal. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)
Ou seja, até o servidor público estável poderá perder o cargo, a fim de que o Estado ajuste suas despesas aos limites legais. Como eu disse antes, e repito – “shit happens”. Eventos improváveis podem acontecer.
E aí vem a pergunta: você está preparado? Por quanto tempo poderia esperar sua recolocação no mercado profissional ou recuperar aquele cargo de confiança? Se sua resposta a essa pergunta é “por menos de 6 meses”, você deveria repensar sua vida, seu nível de despesas e começar, JÁ, a economizar.

Você quer mesmo ser um ônus para os outros se perder o emprego?

Na verdade, já deveria ter começado. Se você realmente não está preocupado com seu emprego, pense na sua aposentadoria. Você tem contribuído pelo teto do INSS, ou só contribui com o “mínimo”? Mesmo contribuindo pelo teto, será o rendimento suficiente para garantir suas necessidades? Já parou pra pensar o que pode acontecer se tiver que se aposentar por invalidez? Você está preparado para ver seu rendimento cair vertiginosamente?
Por isso, todos deveriam começar a economizar e a investir o quanto antes, a fim de garantir maiores chances de ter um futuro tranquilo pela frente. Essa semana, foi publicada uma matéria interessante que mostrava um ex-Vice-Presidente de marketing da Oral-B que hoje frita hambúrgueres porque não se preocupou com o amanhã.
“Ah, mas meus filhos não vão deixar eu passar necessidade!”
Mas… será mesmo?  ”Shit happens”. Ah, você deu uma boa educação para eles e acredita que irão cuidar de tudo? Espero que sim, mas… e se isso não acontecer? Depender dos outros é uma questão sociológica básica; você só pode ser responsável pelo que faz, não pelo que os outros fazem. Seus filhos realmente cuidarão de você do jeito que você gostaria ou sentirão, aos poucos, que você é apenas um fardo? E outra, pode acontecer algum problema com ele – doenças e acidentes acontecem e são imprevisíveis.
Pense nisso. Sei que o assunto do post é pesado, mas é triste ver que a maioria das pessoas simplesmente não se preocupa com essas questões e depois se lamentam por não terem feito o que precisavam e podiam ter feito antes. Aja agora para não lamentar depois.
Imagem em destaque via Shutterstock

 .

Sobre o Autor 

Fábio Portela é investidor desde 2006 e disponibiliza neste site seus conhecimentos adquiridos ao longo do tempo, seja com sua experiência, seja por meio das leituras que fez ao longo dos anos. O autor é mestre em Direito Constitucional e em Filosofia pela UnB, e atualmente cursa doutorado em Direito Constitucional na mesma instituição.http://opequenoinvestidor.com.br


Mantenha-se informado. Receba as postagens grátis!: Clique aqui e assine.

Você gostou deste artigo? Compartilhe:
TwitterDeliciousFacebookDiggStumbleuponFavoritesMore

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | coupon codes